ARTIGOS

Publicada em 16/07/2021

Desde o primeiro dia do meu mandato na Assembleia Legislativa, iniciado em 2015, tenho como uma das bandeiras o combate aos privilégios no setor público. Um tema que, até então, parecia um tabu nas discussões entre os poderes. Em 2015, dei o pontapé inicial no debate sobre o fim do pagamento da pensão vitalícia aos ex-governadores e seus dependentes. Na época, quando eu apresentei meu projeto, o entendimento da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) era que retirar a aposentadoria das pessoas que já recebiam seria inconstitucional. Por isso, minha proposta aprovada por unanimidade estancou o pagamento aos futuros

Publicada em 31/03/2021

Não é novidade para ninguém que a qualidade das políticas públicas no país é de doer. Literalmente, as sentimos na pele e nos bolsos. Temos um cacoete especial de produzir tais políticas com base em meras crenças e em sentimentos, desprezando-se a genuína ciência e as comprovadas experiências positivas. Neste sentido, somos uma nação atrasada e estagnada, que não consegue crescer e proporcionar um padrão de vida melhor para todos os brasileiros. Seguramente, um dos principais motivos da nossa vanguarda no atraso, é a condição de fechamento para o mundo que, como disse, baseia-se em opiniões, falácias e em

Publicada em 19/02/2021

Já fui chamado de lunático por amigo meu, racional, inteligente, culto e com experiência no mercado de comunicação. Não, não foram só as esdrúxulas iniciativas em tempos pandêmicos, a fim de literalmente “jogar para a torcida”, que me fizeram enxergar claramente o avanço autoritário dos tentáculos estatais sobre nossas vidas, nossos modos de ser, e nossas liberdades individuais. Não se trata de ser reacionário, de forma alguma, é uma singela questão de compreender que a “inovação” nos valores, nos costumes e nas práticas do convívio social e de se fazer negócios, que a todo e a qualquer custo quer

Publicada em 19/01/2021

As plataformas digitais concentram um poder abissal, já que controlam as informações, e assim, dirigem – isso mesmo – à “liberdade” de expressão. Uma coisa parece-me ser o monopólio de empresas que produzem bens e ofertam serviços e experiências diferenciadas – e justamente por isso se tornaram monopolistas -, sendo mais eficientes do que seus concorrentes. Este tipo de monopólio natural é justificado, em minha visão, caso contrário estaríamos punindo o sucesso de empresários inovadores, e os próprios consumidores destas empresas. Outra coisa bem diferente diz respeito as plataformas de internet, tais como Apple, Facebook, Google e Twitter. Grande

Publicada em 23/12/2020

Eu sofro com a pobreza material dos brasileiros. Porém, fico ainda mais indignado com a escassez de educação e com a pobreza intelectual de um povo, que faz com que parte da população seja enganada e facilmente manipulada pelo ilusionismo sedutor de um pensamento esquerdista “progressista” interesseiro e estúpido. Pobres são condenados à pobreza inescapável quando governos populistas e despreparados impõem regulamentações burocráticas descabidas, custosas e rígidas, que desencorajam as empresas de iniciar ou expandir suas operações, reduzindo a geração de empregos para aqueles que mais precisam de oportunidades. Empresários são forçados a jogar pelas janelas o suado dinheiro,